Anatomophysiology Basis by David Araújo

No seguimento do estudo para a minha próxima frequência de Anatomofisiologia, decidi compilar a matéria mais importante com o intuito de ajudar outros estudantes da área e que estes também deixem o seu feedback para que juntos possamos melhorar este artigo ao longo do tempo. Lembrem-se que conhecimento não ocupa lugar e qualquer atleta no ramo do Bodybuilding ou Fitness para se destacar deve procurar estudar e saber sempre mais.


Glícidos’s Biochemistry

 

Através da digestão (devido à presença das enzimas responsáveis por esse processo) quebram-se as ligações entre aminoácidos (ligações peptídicas) para que sejam transportados para a corrente sanguínea. Vamos agora aprofundar os hidratos de carbono…
A principal função dos Glícidos é promover energia.
Tanto as proteínas como os hidratos de carbono complexos são polímeros, ou seja, têm na sua constituição mais de 20 aminoácidos/açucares.
Moléculas orgânicas têm sempre Carbono e Hidrogénio.
Açúcar = Monómero = 1 única molécula de açúcar.
O = C – H
|
H – C – OH
|
H – C – OH
|
H
Triose (3 Carbonos)
Aldose (Ligação dupla no inicio)
Pode ser também apresentado da seguinte forma:

H
|
H – C – OH
|
C = O
|
H – C – OH
|
H
Triose (3 Carbonos)
Cetose (Ligação dupla no meio)
3 Carbonos – Triose
4 Carbonos – Tetrose
5 Carbonos – Pentose
6 Carbonos – Hexose (Ex.: Glicose, o mais frequente.)
Glícidos – Triose
O = C – H
|
H – C – OH
|
H – C – OH
|
H
C3H6O3= C3 (H2O)3
Molécula Orgânica (C3H6)
Glícidos – Pentose
H
|
H – C – OH
|
C = O
|
H – C – OH
|
H – C – OH
|
H – C – OH
|
H
C5H10O5= C5 (H2O)5
Molécula Orgânica (C5H10)
Açucares Simples:
· Frutose (Frutos e Mel)
· Glicose (Açúcar)
· Galactose (Glicose + Lactose)
– Os mais indicados para ingerir imediatamente após atividade física.
Absorção:

Galactose > Glicose > Frutose

Velocidade de Transformação em Glicogénio:

Galactose < Glicose < Frutose
Açucares Compostos (ligação de dois açucares simples):
· Sacarose (Glicose + Frutose)
· Lactose (Glicose + Galactose)
· Maltose (Glicose + Glicose)


Sistema Nervoso

Tecidos:
·   Nervoso
·   Conjuntivo
·   Muscular
Receção Sensorial – Estimulação interna e externa como visão, postura, temperatura, etc.
Integração – Consoante o estímulo pode existir uma resposta imediata, armazenamento em memória ou ignorância.
Homeostasia – As células não funcionam isoladas tendo determinadas estruturas e necessidades de ativação ou inibição para que exista equilíbrio.
Atividade mental – Consciência, pensamento, memória e emoção.
Controlo de músculos e glândulas – A contração acontece pela estimulação de centros nervosos ocorrendo ajustes.
Sistema Nervoso:
·   SNP (Periférico)
·   SNC (Central)
          .   Sensorial – neurónios que recebem o estímulo.
          .   Motor – neurónios que transportam a resposta.
Tipos de recetores:
·   Exterocetivos
·   Interocetivos
·   Propriocetivos
·   Nocicetivos
Efetores:
Músculo-esquelético
Glândulas
Recebem estímulos do sistema nervoso central e atuam sobre um sistema muscular ou glândula já existente na anatomia humana.
Neuronio
·   Corpo celular – síntese proteica para gerara informação.
·   Dendrites – transmitem informação para outros axónios.
·   Axónios – passagem de informação para uma célula nervosa ou para um grupo alvo.
Função:
·   Sensitivo
·   Aferente
·   Interneurónio (ou de Associação)
Estrutura:
·   Multipolar – muitos dendrites.
·   Bipolar
·   Unipolar
Potencial de Repouso -» Potencial de Ação (Membrana)
Tecido Nervoso
·   Substância Cinzenta (Processamento de informação)
·   Substância Branca (Canais de Comunicação – Axónios)
Potencial de ação – necessário sódio e potássio.
·   Despolarização
·   Repolarização
Lei do tudo ou nada – ou há um estimulo suficiente para se dar o potencial de ação ou nada acontece.
Período refratário – enquanto se estiver a processar a despolorização e a repolarização, mesmo que surja um novo estimulo, nada acontece até que o processo anterior esteja completamente terminado.
Sanapse
·   A estimulação química é exercida de um neurónio sobre outro neurónio
·   Estimulo limiar– para que o sinal se propague a toda a membrana é necessário que atinja o miliar de excitação, tendo este de ter pelo menos uma intensidade mínima.
Função do Musculo
·   Movimento
·   Manutenção da postura
·   Produção de calor
 O movimento muscular deve-se ao conjunto de pequenos movimentos internos do corpo.
Propriedades dos Musculos
·   Contratilidade
·   Excitabilidade
·   Extensibilidade
·   Elasticidade
Quanto ao movimento:
Agonistas – Fazem o movimento
Antagonistas – Contrários ao movimento.
Quanto à forma das fibras:
Paralelo – Exemplo das fibras do peitoral ou do grande reto abdómen.
Convergente – As fibras unem-se todas numa única origem. Exemplo: quadricípite femoral.
Circular – Exemplo dos músculos internos do abdómen.
Membranas do tecido conjuntivo
Epimísio – elemento elástico de tecido conjuntivo que envolve todo o musculo.
Perimísio – envolve a fibra muscular.
Endomísio – entre as fibras.
Músculo Fibras Musculares Miofibrilhas Miofilamentos
Sarcómero – Miofilamentos grossos e finos e miofibrilas.
Miofilamentos grossos – Miosina (em forma de “taco de golfe”)
Miofilamentos finos – Actina, Tropamiosina e Tropamina (Existem em maior quantidade)
Constituição Sarcómero:
·   No fim tem a “Banda Z”, que o delimita;
·   Ligados à “Banda Z” estão os miofilamentos finos;
·   No meio temos a “Linha M”;
·   No local onde só existe miofilamento grosso chamamos “Zona H”;
·   No local onde só existe miofilamentos grossos e finos chamamos “Banda A”;
·   No local onde só existe miofilamentos finos chamamos de “Banda I”.
Os “Túbulos T” entram para dentro dos miofilamentos, muito importantes para o processo de contração.
Retículo sarcoplasmático está á volta dos Túbulos T.
Motoneurónio Alfa (Motor – Ponto de Convergência) – através de um estímulo dá-se o potencial de ação para se iniciar a contração muscular.
Estímulo chega à membrana para se dar o movimento muscular. Quanto maior o estimulo, maior a quantidade de membranas recrutadas.
Tetenia – manutenção de um estímulo muscular elevado.
Sarcolema – Membrana muscular.
O cálcio altera a configuração do retículo sarcoplasmático.
Pontes cruzadas– cabeças de miosina quando se ligam aos pontos disponíveis.
Contração voluntaria máxima, uma repetição máxima realizada contra uma resistência inamovível.
Quando aumenta a velocidade a capacidade de produzir força vai diminuindo.
À medida que o músculo vai alongandoaumenta a capacidade de produzir força vai diminuindo.
Contração muscular estática ou isométrica – sem movimento mas com contração muscular.
Contração muscular dinâmica ou movimento concêntrico – com movimento e contração muscular.
Contração muscular dinâmica ou movimento excêntrico – com movimento e alongamento muscular.

 

Fibra muscular esquelética – precisa de glicose.

Fibras I (Vermelhas) – Lentas, resistentes, fonte energética aeróbia (mais oxigénio).
Fibras IIa (Brancas) – Rápidas, resistentes, fonte energética anaeróbia látea.
Fibras IIb (Brancas) – Rápidas, não resistentes, fonte energética anaeróbia alátea.
Unidade motora– conjunto de todas as fibras musculares que inerva um motoneurónio alfa.
Grupo motor – conjunto de unidades motoras de um músculo.
Aspetos a considerar na análise de um exercício: movimento articular, músculo responsável por esse movimento, tipo de ação muscular.
Tipo de Ação Muscular:
Estática ou Isométrica – F=R
Dinâmica ou concêntrica – F > R
Dinâmica ou excêntrica – F < R
Regulação da Força
Sincronização– recrutamento muito elevado de unidades motoras maior a frequência de descarga.
O recrutamento de unidades motoras baseia-se na lei do tudo ou nada: ou há estímulo suficiente para desencadear o potencial de ação ou nada acontece.
Princípio de Henneman – o primeiro estímulo vai excitar as unidades motoras mais básicas (com menor grau de excitabilidade), depois a camada média e posteriormente as mais altas.
Motoneurónio Gama – está ligado à extremidade do fuso.
Tónus Muscular– nível de contração muscular em repouso.
Fibra Ia – sensitiva – dá informação relativa ao comprimento das fibras musculares.
Fibra Ib – transporta a informação até à medula.
Reflexo Miotático – a tendência que o músculo tem para fazer uma contração logo após um alongamento.
Reflexo Miotático Inverso – reflexo protetor do sistema locomotor e como sensor de feedback de tensão muscular.
Endocrine System

 

Glândulas endócrinas: Segregam hormonas para o sangue (mensageiros químicos capazes de alterar o funcionamento de uma célula). Ex: Suprarrenais, hipófise, ovário, testículo.

Terminologia: Hormonas – Órgão Alvo:

Adrenocorticotrópica [ACTH] – Glândulas Suprarrenais
Folículo-estimulante [FSH] – Ovários, Testículos
Crescimento [GH] – Fígado, Tecido Adiposo, Tecidos em Geral
Luteinizante [LH] – Ovários, Testículos
Prolactina [PRL] – Ovários, Glândulas Mamárias
Tirotropina [TSH] – Glândula Tiroide

Antidiuréticas [ADH] – Cápsula de Bowman
Ocitocina – Útero 

Glândulas exócrinas: Excretam substâncias para fora do corpo ou para dentro de uma cavidade corporal. Ex: glândula mamária, glândulas salivares, sudoríparas e sebáceas.

 

Sistema endócrino é o nome atribuído a todo o conjunto de órgãos que apresentam como atividade característica a produção de hormonas, segregadas na corrente sanguínea e que irão atuar noutra parte do organismo, controlando ou auxiliando uma determinada função. Os órgãos que têm sua função controlada e/ou regulada pelas hormonas são denominados órgãos-alvo

 

 


Constituição dos órgãos do sistema endócrino:

 

Os tecidos epiteliais de secreção ou epitélios glandulares formam as glândulas, que podem ser uni ou pluricelulares. As glândulas pluricelulares não são apenas aglomerados de células que desempenham funções básicas e têm a mesma morfologia geral e origem embrionária – o que caracteriza um tecido. São na verdade órgãos definidos com arquitetura ordenada e estão envolvidas por uma cápsula conjuntiva que emite septos, dividindo-as em lobos. Os vasos sanguíneos e nervos penetram nas glândulas, fornecendo alimento e estímulo nervoso para as suas funções. 

 

 

As hormonas influenciam praticamente todas as funções dos demais sistemas corporais. Frequentemente o sistema endócrino interage com o sistema nervoso, formando mecanismos reguladores bastante preciosos. O sistema nervoso pode fornecer ao endócrino a informação sobre o meio externo, ao passo que o sistema endócrino regula a resposta interna do organismo a esta informação. Dessa forma, o sistema endócrino, juntamente com o sistema  nervoso,  atuam na coordenação e regulação das funções corporais.

 

 

 

 

Alguns dos principais órgãos produtores de hormonas no homem são a hipófise, o hipotálamo, a tiroide, as paratiroides, as suprarrenais, o pâncreas e as gônadas.
Hipófise ou Glândula Pituitária

 

 

 

 

Situa-se na base do encéfalo, numa cavidade do osso esfenoide chamada sela turca. Nos seres humanos tem o tamanho aproximado de um grão de ervilha e possui duas partes: o lobo anterior ou adeno-hipófisee o lobo posterior ou neuro-hipófise.

Além de exercerem efeitos sobre órgãos não-endócrinos, algumas hormonas produzidas pela hipófise são denominadas tróficas porque atuam sobre outras glândulas endócrinas, comandando a secreção de outras hormonas. São elas:

 

  • Tireotróficos: atuam sobre a glândula endócrina tiroide.

 

  • Adrenocorticotróficos: atuam sobre o córtex da glândula endócrina suprarrenal.

 

  • Gonadotróficos: atuam sobre as gônadas masculinas e femininas. 

 

  • Somatotrófico: atua no crescimento, promovendo o alongamento dos ossos, estimulando a síntese de proteínas e o desenvolvimento da massa muscular. Aumenta também a metabolização dos lípidos e inibe a captação de glicose plasmática pelas células, aumentando a concentração de glicose no sangue (inibe a produção de insulina pelo pâncreas, predispondo ao diabetes).  

 

 

  Hipotálamo

 

Localizado no cérebro, diretamente acima da hipófise, é conhecido por monitorizar através de conexões neurais e fatores de libertação (substâncias semelhantes às hormonas), o meio pelo qual o sistema nervoso controla o comportamento sexual via sistema endócrino.

 

 
 

 

O hipotálamo estimula a glândula hipófise a libertar as hormonas gonadotróficas (FSH e LH), que atuam sobre as gónadas, estimulando a liberação de hormonas gónadas na corrente sanguínea. Na mulher a glândula-alvo da hormona gonadotrófica é o ovário; no homem, são os testículos. As hormonas gónadas são detetadas pela glândula pituitária e pelo hipotálamo, inibindo a liberação de mais hormona pituitária, através do mecanismo de feedback.
Como a hipófise segrega hormonas que controlam outras glândulas e está subordinada, por sua vez, ao sistema nervoso, pode-se dizer que o sistema endócrino é subordinado ao nervoso e que o hipotálamo é o mediador entre esses dois sistemas.

 

 

O hipotálamo também produz outros fatores de liberação que atuam sobre a adeno-hipófise, estimulando ou inibindo suas secreções. Produz assim as hormonas Ocitocinae ADH (Antidiurética), armazenadas e segregadas pela neuro-hipófise.

 

 

 

Tiroide
Localiza-se no pescoço, estando apoiada sobre as cartilagens da laringe e da traqueia. Produz triiodotironina(T3) e tiroxina (T4), hormonas responsáveis por aumentar a velocidade dos processos de oxidação e de liberação de energia nas células do corpo, elevando a taxa metabólica e a geração de calor. Estimulam ainda a produção de RNA e a síntese de proteínas, estando relacionados com o crescimento, maturação e desenvolvimento. A calcitonina, outra hormona segregada pela tiroide, participa no controlo da concentração sanguínea de cálcio, inibindo a remoção do cálcio dos ossos e a saída dele para o plasma sanguíneo, estimulando a sua incorporação pelos ossos.

 

 

 

Paratiroides

 

São pequenas glândulas, geralmente em conjuntos de quatro, localizadas na região posterior da tiroide. Segregam a paratormona, que estimula a remoção de cálcio da matriz óssea (o qual passa para o plasma sanguíneo), a absorção de cálcio dos alimentos pelo intestino e a reabsorção de cálcio pelos túbulos renais, aumentando a concentração de cálcio no sangue. Neste contexto, o cálcio é importante na contração muscular, na coagulação sanguínea e na excitabilidade das células nervosas.
Glândulas Endócrinas e o Cálcio

 


 

Suprarrenais
São duas glândulas localizadas sobre os rins, divididas em duas partes independentes – medula e córtex – segregam hormonas diferentes, comportando-se como duas glândulas. O córtex segrega três tipos de hormonas: os glicocorticóides, os mineralocorticóides e os androgénicos.

 


 

Pâncreas

 

É uma glândula mista – apresenta determinadas regiões endócrinas e determinadas regiões exócrinas (da porção secretora partem dutos que lançam as secreções para o interior da cavidade intestinal) ao mesmo tempo. As chamadas ilhotas de Langerhans são a porção endócrina, onde estão as células que segregam as duas hormonas: insulinae glucagon, que atuam no metabolismo da glicose.

 

 
       

About The Author

David Araújo

Welcome to my Journey! My name is David Araújo and I was born on January 19th, 1993. My goal is to inspire millions of people to achieve the physique always dreamed. I will show you how you can get into and maintain the best shape of your life. Let's add this website in your favorite and follow me in my journey.

Leave A Comment

ABOUT ME

 

My name is David Araújo and I was born on January 19th, 1993. My goal is to inspire millions of people to achieve the physique always dreamed through a healthy lifestyle.
I will show you how you can get into and maintain the best shape of your life. Here you can learn how I utilize lifting weights in order to build muscle and an aesthetic physique, utilize proper nutritiont to either lose fat or focus on building muscle, and still enjoy life without overly restricting yourself.

CONTACT INFO

 

Feel free to contact me if you have any question or even if you want just to say your opinion about my work.

E-mail:   david.araujo.1993@gmail.com
Localização:   Montijo, Portugal

DONATE

 

If I have helped you out, motivated you, or if you've become a fan of me through my videos and pictures, please feel free to support me by donating a small amount of money to help me pay competitions costs. Any amount is appreciated.

NIB: 0036.0212.99100015818.29
IBAN: PT50.0036.0212.99100015818.29
BIC/SWIFT: MPIOPTPL